Guerra Interior

Quando as intenções são boas e as sombras não…

Brandon Lee em “O Corvo”

As sombras murmuram “Não olhe, não olhe”
Sussurrando-me para longe de você
“Não acorde à noite para vê-la dormir
Você sabe que sempre perderá
Essa adorada e trêmula
Menina passarinho louca e despenteada”
Mas toda noite eu queimo
Toda noite eu chamo seu nome
Toda noite eu queimo
Toda noite eu caio de novo

“Oh, não fale de amor”, as sombras ronronam
Murmurando-me para longe de você
“Não fale de mundos que jamais existiram
A verdade de tudo é o fim
Não há nada que você possa dizer
Nada que você possa fazer “
E mesmo assim toda noite eu queimo
Toda noite eu grito seu nome
Toda noite eu queimo
Toda noite o sonho é o mesmo
Toda noite eu queimo
Esperando meu único amigo
Toda noite eu queimo
Esperando o fim do mundo

“Apenas pinte seu rosto” as sombras sorriem
Deslizando-me para longe de você
“Oh, não importa como você se disfarça
Encontraremos você se quisermos
Então deite-se e feche os olhos
Durma um pouco
Você deve estar cansado”
Mas toda noite eu queimo
Toda noite eu chamo seu nome
Toda noite eu queimo
Toda noite eu caio de novo
Toda noite eu queimo
Verbalizo o grito animal
Toda noite eu queimo
Sonhando o sonho do
Corvo Negro

“The Cure”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.