A CURA em Um Dia Estranho

Ceda-me seus olhos para que eu possa ver o cego beijar minhas mãos. O Sol está murmurando. E enquanto ele está de joelhos minha cabeça se transforma em pó. E a areia e o mar crescem. Eu fecho meus olhos e atravesso lentamente as ondas asfixiantes, me perdendo em um dia estranho. E eu dou … Continue lendo A CURA em Um Dia Estranho

Crânios, Esqueletos, Caveiras…

Eu adoro crânios. Reais e nas artes. Nem sei bem a razão, só sei que me afino. Já li e ouvi algumas explicações e a que mais se encaixa comigo está na Alquimia: "É o emblema do Recipiente da Transmutação, simbolizando também o caráter transitório, impermanente e perecível da existência." Crânios, esqueletos, caveiras, simplesmente adoro! … Continue lendo Crânios, Esqueletos, Caveiras…

Meu Principal Remédio

A Spin Magazine escreveu certa vez o seguinte sobre o The Cure: "Sempre foram uma banda do tipo: Robert Smith ou está afincadamente dedicado a uma tristeza gótica ou está a lamber um algodão-doce pegajoso dos seus dedos manchados de batom". Concordo totalmente. Lá pelos meus 17 anos, vida dura e adolescência pior ainda, era … Continue lendo Meu Principal Remédio